domingo, 13 de maio de 2012

Doenças Felinas 3 - Peritonite Infecciosa Felina ( PIF )

Mais uma séria e fatal doença que atinge exclusivamente gatos. 


"Sem vacina segura, sem diagnóstico fiável e, sobretudo sem cura, a PIF é a infecção mais mortífera nos gatos. Uma vez detectada, a esperança de vida restante do gato cai para 2 anos.

A Peritonite Infecciosa Felina (PIF) é causada por uma das dezenas variantes do coronavírus. A presença do coronavírus nos gatos é uma doença benigna, que geralmente não causa sintomas e que os gatos acabam por combater eficazmente através da ação do próprio sistema imunológico. 

Na realidade, a maioria dos donos não chega a saber que o gato esteve infectado por este vírus. 
Contudo, em 1 a 3% desses casos, o coronavírus degenera numa variante imunomediada quase sempre letal.

acumulo de liquido em abdomen por PIF na forma umida
A PIF e o Sistema Imunológico

O desenvolvimento da PIF está intrinsecamente ligada ao estado em que se encontra o sistema imunológico. A PIF geralmente surge em gatos com um sistema imunológico deficitário: pouco desenvolvido em gatos jovens, até dois anos, enfraquecido em gatos idosos, com mais de 14, ou debilitado em gatos adultos, freqüentemente devido ao stress.

Gatos com outras doenças que afetam o sistema imunológico, tais como leucemia (FeLV), ou uma espécie de SIDA (FIV) estão mais vulneráveis ao desenvolvimento da PIF.

Paradoxalmente, um sistema imunológico combativo não faz com que a progressão da PIF abrande, pelo contrário, vai gerar a aceleração da doença se esta já estiver instalada.

PIF e Portadores

Nem todos os gatos nos quais se verifica a presença do coronavírus desenvolvem sintomas. Em alguns, a doença manifesta-se meses ou anos após a infecção ocorrer e, durante este tempo, podem infectar outros gatos.

Tipos de PIF

Existem dois tipos de PIF: a Úmida ou Efusiva e a Seca ou Não-Efusiva. Ambas podem causar diarréia, perda de peso e letargia. Na verdade, a PIF não se trata de uma inflamação do peritônio, mas sim, de uma inflamação dos vasos sanguíneos, vasculite.

PIF Seca e Não-Efusiva

A PIF Seca é uma forma crônica da doença, que se não for tratada pode dar origem à variante húmida. É mais difícil de diagnosticar, pois os sintomas que apresenta não são exclusivos desta doença.

Lesões ocorrem por todo o corpo, e os sintomas variam de acordo com os órgãos afetados (rins ou fígado, por exemplo). Muitos gatos desenvolvem inflamações oculares e/ou problemas neurológicos, tais como paralisia ou ataques. Gatos com PIF Seca podem ainda desenvolver icterícia, ou seja, obterem um tom amarelado na pele, que é mais visível no nariz.

PIF Úmida e Efusiva

Esta é a variante mais grave, pois para além dos sintomas que são verificados na PIF Seca, há também acumulação de fluídos devido à danificação dos vasos sanguíneos.

liquido sendo retirado de cavidade de um gato com PIF umida

Na maioria dos casos de PIF húmida, 60 a 70%, há acumulação de fluídos no corpo, mais comumente no abdômen, o que gera um inchaço na zona abdominal. O mesmo pode acontecer na zona torácica, o que pode causar problemas respiratórios adicionais.

Diagnóstico

A detecção da PIF não é tão fácil como, a princípio, poderia parecer. Os sintomas são comuns a outras doenças e ainda não há nenhum método em que não ocorram falsos negativos ou falsos positivos, ou seja, gatos que se pensava estarem infectados e mais tarde verifica-se que não, e gatos que se pensava não estarem infectados e mais tarde verifica-se que estavam. 


Alguns dos metodos de diagnostico são: Teste do coronavírus, Polymerase Chain Reaction (PCR), Análises do fluído abdominal / torácico / Raio-X ( para suspeita de PIF umida ) , Análise de Células dos rins ou fígado, Biópsia, Combinação de análises de sangue. Também há casos que somente após a morte do animal, por necropsia, a doença pode ser confirmada.

Tratamento

Infelizmente não há tratamentos eficazes contra a PIF. Os gatos são assim medicados na tentativa de eliminar ou aliviar sintomas. Contudo, não há cura para a doença.

Eutanásia

Nos casos em que se manifestam sintomas e em que há um diagnóstico sólido, a eutanásia é praticamente inevitável. O tratamento pode resultar no alívio temporário dos sintomas, mas eventualmente a doença progride. Alguns gatos recuperam, mas os casos são raros e constituem a exceção à regra.

Antes de optar por esta solução tenha a certeza de que se trata de PIF, pois como foi referido anteriormente, nem todos os coronavírus causam PIF."

6 comentários:

  1. Doença terrivel... Minha gatinha esta com a PIF e cada dia que se passa esta ficando pior... Hoje ela so fica deitada e os olhinhos ja estao vermelhos... Dificil decisao de leva-la para a eutanasia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. infelizmente as vezes eutanasia é a opção mais segura. nunca deixaria um animal meu sofrendo por algo incuravel. nao se preocupe, vc vai estar agindo pelo bem dela.

      Excluir
    2. Minha gatinha foi diagnosticada com PIF, através do exame de sangue, aos 6 meses de vida, após ter ficado à beira da morte.
      Estivemos tratando-a com alopatia sempre e, como sou terapeuta floral de bach, introduzi os florais como forma de terapia complementar.
      Hoje a Princesa está com 2 anos e meio, tem a saúde frágil, sempre tomando remédios e permanecendo com os florais, mas tem uma qualidade de vida que deixa o veterinário dela boquiaberto...
      Às vezes ela fica com o pulmão cheio de líquido e com a eterna rino-traqueíte atacadíssima, mas ministro rapidamente a alopatia indicada em conjunto com o floral Rescue Remedy e em alguns dias ela melhora muito!
      Florais não têm a capacidade de operar milagres e nem efetuar curas mirabolantes, mas possuem a capacidade de equilibrar o doente que passa a ter mais condições de reagir aos tratamentos convencionais.
      Caso alguém se interesse por saber mais ou queira tirar alguma dúvida podem me contatar através do Facebook: http://www.facebook.com/terapeutafloraldebach.terapiafloral
      Ou através do email contato@terapiadefloraisdebach.com.br
      Espero poder ajudar!!! Atenciosamente,

      Excluir
  2. Boa noite,
    Vim a conhecer esta doença pelas piores razões, o meu gato apanhou esse virus (apesar de que os testes acusavam negativo)agora hà duas semanas para cá.
    Começou com uma tosse de vez em quando, depois vieram alguns vomitos, e depois decidimos levar ao veterinário, e cada dia que passava pior ficava. Até que chegou ao ponto de ganhar liquido nos pulmões, então teve que se tirar constantemente, depois passou para a zona adbominal. Em que ele já tinha muita dificuldade a respirar e a retirada do liquido já estava a ser muito frequente. E isso fazia com que ele tivesse muita dificuldade em respirar e nem dormia. Só dormia quando se tirava o liquido. Estava em sofrimento e estava a pensar na possibilidade da eutanasia, mas estava sempre com esperança. Até que soube que os liquidos já tinha passado para os membros, aí foi o final. Decidi que não dava mais. o sofrimento já era muito, e tive que tomar a a pior decisão da minha vida.
    Mas tenho a noção que fiz tudo o que podia para o salvar, mas a pif umida começa a comer os gatinhos por dentro, é horrivel.

    ResponderExcluir
  3. Boa Noite..Eu tb tive um Gatinho q morreu dessa doença..Levei quase 1 mes tentando salva-lo..Mas infelizmente não deu..Preferi a Eutanasia, senti q estava sendo egoista comigo..Ele não merecia sofrer...

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde,

    "Mais uma séria e fatal doença que atinge exclusivamente gatos, sobretudo aqueles que, pela irresponsabilidade dos donos, não-castrados, costumam ir para as ruas e ter contato com outros animais. "

    Quero aqui resalvar a seguinte questão eu tive a minha gata com 7 anos que morreu com PIF esta semana e que nunca saiu de casa,nunca fugiu e o unico sitio onde a levei foi ao vet fazer a esterelização e levar as vacinas. Por isso no meu caso o meu Amor e responsabilidade não evitou o pior...vivo ainda na incerteza, tenho mais 3 gatos se não irão desenvolver a doença.
    Também optei pela eutanasia quando a doença começou a afectar o cerebro e ela começou a ter ataques e convulsões,mesmo sendo nada a favor da eutanasia tive de me render ao sofrimento da minha Ginga e dizer já chega.O tratamento também foi quase 1 mÊs mas enquanto tinhamos esperança tudo fizemos para prolongar a vida dela,chegou a estar internada mas como estava a piorar por causa do stress ainda fizemos o tratamento em casa orientados pelo vet,soro e estabilizador estomago,remedio dores......mais não podiamos ter feito.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.