quinta-feira, 8 de março de 2012

A devolução dos gatos ao seu local de origem

A grande maioria das pessoas que se dedicam à proteção animal desenvolvem atividades de resgate e doação de animais para novos lares, uma atitude louvável e que, assim como a C.E.D. - Captura, Esterilização e Devolução -, também objetiva que esses cães e gatos tenham uma vida melhor.

É necessário entender que o foco dos projetos de C.E.D. são gatos ferais (aqueles que nunca ou raramente se adaptariam a uma vida dentro de um ambiente domestico) ou gatos ariscos (aqueles que tem medo de qualquer aproximação com as pessoas).

O stress de um gato feral ou arisco que é forçado a estar na presença de pessoas pode levá-lo ao óbito, por ataque cardíaco e recusa em ingestão de água e alimento.

filhote feral

Animais ferais, ariscos ou de colônias criam fortes vínculos com seus locais de origem e suas posições sociais dentro desses grupos; por essa razão cada gato é devolvido exatamente na mesma rua onde foi capturado. Isso evita atropelamentos e brigas com animais residentes de outras áreas. 

Em grupos familiares, alguns poderão ser mal recebidos pelos outros, por causa do cheiro diferente da castração e manipulação humana, mas geralmente, em poucas horas, a paz volta a reinar dentro do foco.

um de nossos grupos familiares :)

E os gatos não-ferais que são capturados? Esses são os que sofreram abandono.

Geralmente se enquadram nessa categoria os animais doentes ( cujo os donos não quiseram/puderam custear seu tratamento ), fêmeas jovens, prenhes ou com filhotes, machos não-castrados que fugiram de casa para reproduzir.

Pepita ( ex-#58 ) curtindo seu lar doce lar :)
Esses gatos podem e devem ser colocados para adoção se houver a oportunidade e recursos para mantê-los apropriadamente, uma vez que, mansos e amistosos, são vitimas faceis de pessoas mal intencionadas e podem ser maltratados e até mortos.

Castrados, eles serão excelentes animais de estimação, independente de onde vieram e de sua idade e serão eternamente gratos pela chance que lhes foi presenteada de uma nova vida. 



No caso de gatos comunitários e que são bem-tratados em seu local de origem, com a castração eles acabam sendo adotados oficialmente por alguém da vizinhança que já cuida deles. 

Mais finais felizes que projetos de C.E.D. são responsáveis através de suas ações de esterilização :)

Uma característica imprescindível da pessoa que atua com C.E.D. é saber respeitar e compreender o estado desses animais e entender que, sim, gatos ferais e/ou ariscos estão melhores em liberdade. 

Os gatos beneficiados pelo C.E.D. não foram “resgatados” , assim como também não estão sendo “deixados ou abandonados” nas ruas. Estão apenas retornando a seus locais de origem, com uma melhor qualidade de vida assegurada pela castração :)

"Se informe. Gatos ferais possuem um lar - lá fora! 
E mesmo que eles apreciem uma lata de patê, eles não querem se aninhar com você no sofá."

( retirado do site Alley Cats Allies - grupo pioneiro de C.E.D nos E.U.A )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.